Desenvolver habilidades socioemocionais hoje, para garantir sucesso no mundo de amanhã!

Desenvolver habilidades socioemocionais hoje, para garantir sucesso no mundo de amanhã!

As competências socioemocionais fazem parte da nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e devem ser implementadas em todas as escolas brasileiras até o ano de 2020.

Desenvolver habilidades socioemocionais hoje, para garantir sucesso no mundo de amanhã!

Quem já não se viu pensando: O tempo está passando muito rápido, parece que foi ontem que entrei na escola, me formei, me casei, tive filhos…

Da mesma forma que o passar do tempo é sentido como um piscar de olhos, as mudanças no mundo acontecem de forma frenética. A inteligência artificial, a computação quântica, os carros autônomos e a tecnologia desenvolvendo tantos objetos para facilitar a vida moderna permitem pensar: Será que a “máquina humana” será substituída por robôs?

Todos os dias, novas indústrias e novos modos de trabalho nascem, enquanto outros vão ficando defasados. Pesquisas mostram que 65% dos alunos que estão cursando o Ensino Fundamental vão ocupar cargos que ainda nem existem. Nos próximos anos e décadas, certamente, a tecnologia desenvolverá e englobará atividades de trabalho cada vez mais humanas; porém, o que diferencia os homens dessas máquinas é algo que elas jamais irão adquirir: consciência.

Quanto mais humanos os jovens forem, mais valiosos eles serão no mercado de trabalho. A boa vontade em substituir um colega cujo filho esteja doente, a iniciativa para ajudar um membro da equipe a atingir uma meta, a flexibilidade cognitiva para produzir mudanças, a resiliência para superar os obstáculos e recomeçar com otimismo, a comunicação sincera e a gratidão pelo seu trabalho e o da equipe são características de seres humanos que adquiriram consciência emocional e social.

É preciso preparar os alunos não apenas para a faculdade, e sim para a vida; não apenas para serem bons funcionários, e sim líderes inovadores. Assim, não se muda apenas o futuro da educação e da força de trabalho, mas se transforma o mundo em que se vive, fazendo-o um mundo melhor, ao qual dará gosto de pertencer.

Para desenvolver as habilidades socioemocionais é preciso, antes de tudo, reconhecê-las, exemplos:

Autorresponsabilidade: percepção de ser único responsável pela vida que leva e único a poder mudá-la, assim como único responsável por suas escolhas.

Empatia: habilidade de se colocar no lugar do outro, entendendo e percebendo sentimentos, intenções e mensagens não verbalizadas; relação de sintonia, em que um é capaz de perceber o outro em sua essência.

Controle emocional: equilíbrio entre a emoção/razão, sentir/pensar, saber/ fazer. Habilidade de voltar a atenção aos estados emocionais e às suas influências no bem-estar; atenção plena para sentir, pensar e agir de acordo com as situações.

Consciência social: senso de responsabilidade ou preocupação com problemas e injustiças na sociedade; identificação com as diferenças da sociedade em que se vive, para buscar a sociedade ideal, a qual deveria existir.

Capacidade de se relacionar bem: possibilidade de dialogar – ouvir e ser ouvido, falar o que pensa e sente e permitir que o outro se expresse do mesmo modo – e de estabelecer comunicação sincera e assertiva, vivenciando a possibilidade de partilha.

Sobre o Autor

Administradora, Master coaching, autora do Ser Presente e responsável por liderar o processo de expansão do programa LIM.

Deixe um comentário